12.03.2009

Portal IG Delas

Cirurgia de redução das mamas

Cirurgia de redução das mamas

Quando a redução de mamas é indicada? A mamoplastia redutora, que é o nome desse tipo de plástica, é recomendada para quem está descontente com o tamanho ou o formato dos seios. Esse público representa de 15 a 20% das pacientes das clínicas. "Além da preocupação estética, procura-se esta cirurgia por questão de saúde. O excesso de peso pode causar dores nas costas, problemas de coluna e até assaduras e machucados por causa do sutiã", explica o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada, de São Paulo. A vida social também fica comprometida. "Mulheres com mamas muito grandes têm limitações físicas que as impedem de praticar esportes, por exemplo", cita Ricardo Cansanção, cirurgião plástico da Clínica Dicorp, do Rio de Janeiro. Seios volumosos também chegam a prejudicar a auto-estima. "A inadequação da autoimagem pode gerar transtornos de relacionamento, pois a mulher sente-se diferente e até mesmo rejeitada", destaca o cirurgião Vitorio Maddarena, da Clínica Maddarena, de São Paulo. Há contra-indicações? Sim, e elas são as mesmas para outros tipos de cirurgia. "Doenças não controladas, como diabete, pressão alta e alterações cardíacas, devem ser tratadas primeiro ", responde Ruben Penteado. Vitorio Maddarena acrescenta: "Não se indica redução para quem já tem mama pequena ou de tamanho adequado. Ou se é portadora de dismorfia corporal, um problema psicológico grave no qual a pessoa não se aceita, apesar de apresentar padrões normais. Este caso necessita de acompanhamento psiquiátrico antes de qualquer procedimento". Quem fez redução pode colocar prótese? E o contrário? As duas situações podem acontecer, afirmam os cirurgiões. "A procura pelo aumento das mamas após mamoplastia de redução é considerável, principalmente em quem operou há mais de 10 anos", comenta Ricardo Cansanção. O oposto também ocorre. "Geralmente, a paciente que se arrepende da cirurgia foi mal orientada ou não estava segura do que queria. Se existe a necessidade de reduzir mamas com implante, podemos trocar por uma prótese menor", explica o médico da Clínica Dicorp. "Mas, como ocorreu uma adaptação por causa do silicone, haverá necessidade da retirada do excesso de pele e novas cicatrizes", completa Vitorio Maddarena. Como é o pré e o pós-operatório? Há uma série de cuidados, como proibição de certos medicamentos, bebidas alcoólicas e cigarro dias antes da cirurgia, que leva aproximadamente três horas e pede anestesia geral ou peridural. A mulher fica internada por um dia, e os pontos são retirados após duas semanas. "Hoje em dia podem ser usados fios de sutura que se transformam em gás carbônico e água, sendo absorvidos", comenta Vitorio Maddarena. Inchaço e sensibilidade são naturais nas primeiras semanas. É essencial usar sutiã especial, para manter os seios firmes e ajudar na modelagem, e tomar remédios prescritos pelo médico, como antibióticos para evitar possíveis infecções, anti-inflamatórios e analgésicos. "O movimento dos braços fica bem limitado e deve-se evitar elevá-los acima dos ombros nos primeiros 14 dias. Esforços físicos são proibidos por 30 dias", avisa Ruben Penteado. Já a malhação moderada é liberada dois meses depois. As cicatrizes são visíveis? "A tendência é serem cada vez menores, mas tudo depende do tipo de seio e da quantidade de tecido (glândulas e pele) a ser removido. Uma das mais utilizadas é a que deixa cicatriz em T", detalha Vitorio Maddarena. "Além de T invertido, as marcas podem ser ainda em forma de L e I, todas na parte inferior das mamas. Também há a periaureolar, em torno da aréola", inclui Ruben Penteado. Só depois de um ano é possível ver o aspecto definitivo da cicatriz, geralmente mais clara.

» ver a matéria original

veja também

  • 03.07.2008 | Realiza News - site - Autor: Agência Unipress Internacional/Gabriela Jaya e Ali

    Lipoaspiração completa 30 anos !!!

    A Lipoaspiração completa 30 anos !!! Uma das cirurgias estéticas mais populares no mercado e a segunda mais realizada completa 30 anos. O sucesso da Lipoaspiração envolve o tempo de recuperação e os bons resultados, mas a cirurgia não deve ser banalizada. O Canal Saúde entrevistou o cirurgião plástico Ricardo Cansanção, Coordenador da Equipe de Cirurgia Plástica da clínica Dicorp, no Rio de Janeiro, que esclarece algumas questões sobre o procedimento. Confira entrevista. Canal Saúde: A lipoaspiração completa 30 anos e é a segunda cirurgia plástica mais realizada no País. Por que tanto sucesso? Ricardo Cansanção: A busca da cirurgia plástica é a tentativa de harmonização, visando estabelecer um equilíbrio que permita ao indivíduo sentir-se em harmonia com sua própria imagem e com o universo que o cerca. A lipoaspiração melhora o contorno corporal removendo gordura localizada e equilibrando a silhueta. O conceito de saúde, hoje, reprime a gordura. A moda também é feita para as pessoas magras e “saradas”. Associado a isso, as técnicas cirúrgicas evoluíram, a anestesia é mais simples e segura, o pós-operatório é mais fácil, e os preços se tornaram mais acessíveis. Canal Saúde:Qual a diferença da lipoescultura, lipoaspiração, lipo light e hidrolipo? Fale um pouco do resultado, do preço e do pós-operatório de cada um? Ricardo Cansanção: Todas são lipoaspirações e servem para remover a gordura localizada. Na lipoescultura podemos aproveitar a gordura para injetar e modelar outras áreas como, por exemplo, aumentar as coxas. Algumas pessoas estão apelidando a lipo de mini, light, lipo fracionada. O fato é que, apesar de muitos rótulos, todos são variações da mesma técnica e, dependendo da extensão e área, podem ser menores ou maiores. Já a hidrolipo é feita em todos os procedimentos, onde se injeta solução de soro com ou sem anestésico local, para facilitar a aspiração da gordura. Faço em meus pacientes também a Vibrolipo, ou Vibrolipoaspiração, técnica moderna em que se utiliza um aparelho conectado à cânula, que faz uma vibração na sua ponta, facilitando a remoção da gordura, diminuindo o atrito e suavizando o movimento. Canal Saúde:As mulheres ainda dominam o mercado, mas é verdade que o número de homens que procuram clínicas de beleza para fazer Lipo está crescendo? Ricardo Cansanção: Hoje em dia, os pacientes masculinos procuram muito os cirurgiões plásticos, e já são cerca de 25% do total de pacientes. As cirurgias mais procuradas são a Lipo, as cirurgias de nariz e a ginecomastia (correção do excesso de glândula mamária masculina).

    » ver mais