10.03.2009

Revista Corpo e Plástica

Belas mamães

Belas mamães

O momento mais sublime na vida de uma mulher é o da gestação. Os nove meses em que um ser humano se desenvolve dentro do ventre da mãe a faz sentir plena em sua feminilidade e em sua capacidade de gerar uma nova vida. Sentir-se mulher, mãe e presenciar um milagre da natureza acontecendo em seu corpo, é uma emoção inigualável. Mas para vivenciar tudo isto, o organismo da mulher precisa se adaptar para que ocorra uma gestação saudável. Assim, muitas transformações acontecem no seu corpo. Segundo o Dr. Ricardo Cansanção, cirurgião plástico da Clínica Dicorp do Rio de Janeiro e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a gestante passa por alterações fisiológicas de origem hormonal e mecânica. Existem mudanças na postura, na circulação, na pele, nos tecidos, nas mamas e nos órgãos genitais das grávidas”, explica. Isso sem falar no ganho de peso, natural na gravidez. Para o Dr. Ricardo, o ideal é que a mulher engorde até 11 quilos, sendo 70% deste ganho ocasionado pela retenção de líquidos. Todas essas mudanças ocasionam problemas estéticos na nova mamãe que, muitas vezes, acabam por abalar sua auto-estima. Depois do parto, o espelho pode mostrar uma imagem que não agrada. Seios caídos, acúmulo de gordura e flacidez no abdômen, nas costas e nos quadris, além das temidas estrias são responsáveis pelas maiores queixas. No entanto, você não precisa se conformar com o que vê. Para corrigir essas imperfeições e voltar a ter as formas parecidas com as de antes da gravidez, você pode recorrer à cirurgia plástica. A gravidez traz mudanças rápidas ao corpo da mulher e mexe com seu psicológico. A cirurgia plástica devolve auto-estima e melhora a maneira das mulheres se relacionarem com o mundo e consigo mesmas, argumenta o Dr. Ricardo.

De acordo com a experiência do cirurgião, as plásticas mais indicadas para as novas mamães são as cirurgias de contorno corporal, as lipoaspirações, as abdominoplastias e as cirurgias de mamas. As anestesias utilizadas nesses procedimentos podem ser locais ou de bloqueio, como raqui e peridural, dependendo da avaliação médica. Em geral, as cirurgias são rápidas, levando de uma a três horas. O pós-operatório precisa ser seguido à risca, com acompanhamento médico, uso de cinta e nada de exercícios físicos por no mínimo 30 dias. Porém, antes de correr para o consultório de um cirurgião plástico, lembre-se de que para submeter-se a uma cirurgia primeiro é necessário recuperar suas condições normais. Para tanto, deve-se aguardar o equilíbrio hormonal e a acomodação da musculatura e da pele às novas formas. Segundo o Dr. Ricardo, o período para que isso ocorra geralmente varia de seis meses a um ano desde que a mãe não esteja mais amamentando. Tomando essas precauções, ou seja, respeitando o tempo de recuperação de cada organismo, a rotina da cirurgia plástica ocorre de forma semelhante a de qualquer outro paciente. Para esclarecer dúvidas sobre o procedimento mais indicado para o seu caso, nada melhor do que uma boa conversa com o cirurgião plástico.

» ver a matéria original

veja também

  • 30.04.2010 | News

    Parceria com MASTERCARD e VISA

    Em parceria com a MASTERCARD e VISA, dispomos de condições de parcelamento , oferecendo aos pacientes comodidade e facilitando ainda mais a realização de sua cirurgia.

    » ver mais

  • 01.07.2009 | assessoria.

    Dr. Ricardo Cansanção participa de congresso nos EUA.

    Dr. Ricardo Cansanção compareceu ao Aesthetic Meeting - realizado em Las Vegas, Nevada, EUA, nos primeiros dias de maio.

    » ver mais

  • 12.03.2009 | Portal IG Delas

    Cirurgia de redução das mamas

    Quando a redução de mamas é indicada? A mamoplastia redutora, que é o nome desse tipo de plástica, é recomendada para quem está descontente com o tamanho ou o formato dos seios. Esse público representa de 15 a 20% das pacientes das clínicas. "Além da preocupação estética, procura-se esta cirurgia por questão de saúde. O excesso de peso pode causar dores nas costas, problemas de coluna e até assaduras e machucados por causa do sutiã", explica o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada, de São Paulo. A vida social também fica comprometida. "Mulheres com mamas muito grandes têm limitações físicas que as impedem de praticar esportes, por exemplo", cita Ricardo Cansanção, cirurgião plástico da Clínica Dicorp, do Rio de Janeiro. Seios volumosos também chegam a prejudicar a auto-estima. "A inadequação da autoimagem pode gerar transtornos de relacionamento, pois a mulher sente-se diferente e até mesmo rejeitada", destaca o cirurgião Vitorio Maddarena, da Clínica Maddarena, de São Paulo. Há contra-indicações? Sim, e elas são as mesmas para outros tipos de cirurgia. "Doenças não controladas, como diabete, pressão alta e alterações cardíacas, devem ser tratadas primeiro ", responde Ruben Penteado. Vitorio Maddarena acrescenta: "Não se indica redução para quem já tem mama pequena ou de tamanho adequado. Ou se é portadora de dismorfia corporal, um problema psicológico grave no qual a pessoa não se aceita, apesar de apresentar padrões normais. Este caso necessita de acompanhamento psiquiátrico antes de qualquer procedimento". Quem fez redução pode colocar prótese? E o contrário? As duas situações podem acontecer, afirmam os cirurgiões. "A procura pelo aumento das mamas após mamoplastia de redução é considerável, principalmente em quem operou há mais de 10 anos", comenta Ricardo Cansanção. O oposto também ocorre. "Geralmente, a paciente que se arrepende da cirurgia foi mal orientada ou não estava segura do que queria. Se existe a necessidade de reduzir mamas com implante, podemos trocar por uma prótese menor", explica o médico da Clínica Dicorp. "Mas, como ocorreu uma adaptação por causa do silicone, haverá necessidade da retirada do excesso de pele e novas cicatrizes", completa Vitorio Maddarena. Como é o pré e o pós-operatório? Há uma série de cuidados, como proibição de certos medicamentos, bebidas alcoólicas e cigarro dias antes da cirurgia, que leva aproximadamente três horas e pede anestesia geral ou peridural. A mulher fica internada por um dia, e os pontos são retirados após duas semanas. "Hoje em dia podem ser usados fios de sutura que se transformam em gás carbônico e água, sendo absorvidos", comenta Vitorio Maddarena. Inchaço e sensibilidade são naturais nas primeiras semanas. É essencial usar sutiã especial, para manter os seios firmes e ajudar na modelagem, e tomar remédios prescritos pelo médico, como antibióticos para evitar possíveis infecções, anti-inflamatórios e analgésicos. "O movimento dos braços fica bem limitado e deve-se evitar elevá-los acima dos ombros nos primeiros 14 dias. Esforços físicos são proibidos por 30 dias", avisa Ruben Penteado. Já a malhação moderada é liberada dois meses depois. As cicatrizes são visíveis? "A tendência é serem cada vez menores, mas tudo depende do tipo de seio e da quantidade de tecido (glândulas e pele) a ser removido. Uma das mais utilizadas é a que deixa cicatriz em T", detalha Vitorio Maddarena. "Além de T invertido, as marcas podem ser ainda em forma de L e I, todas na parte inferior das mamas. Também há a periaureolar, em torno da aréola", inclui Ruben Penteado. Só depois de um ano é possível ver o aspecto definitivo da cicatriz, geralmente mais clara.

    » ver mais

  • 15.07.2008 | O DIa On Line. - David Brazil

    Perlla faz lipo e coloca prótese de 250ml de silicone !!

    "Perlla, a menina chapa quente do Funk, é a mais nova turbinada do pedaço. A futura Senhora Léo Moura, que era uma “despeitada”, resolveu esse probleminha. Na semana passada, a talentosa cantora colocou prótese de 250ml de silicone em cada seio. Como quem tá na chuva é para se molhar, Perllinha aproveitou para fazer uma lipo também. A belezura está uma nova mulher, mas o craque do Flamengo só vai poder desfrutar do trabalho do Dr. Ricardo Cansanção daqui a uma semana. "Euzinho fui até sua casa fotografá-la e pude ver que ela está um espetáculo!" ( David Brasil).

    » ver mais